A Igreja de Santo António é um dos marcos religiosos da cidade de Lisboa, por se encontrar no local onde se diz ter vivido Santo António, de seu nome Fernando de Bulhão, o Santo Popular padroeiro de Lisboa, existindo também anexo, um Museu que celebra o Santo. Foi nesta igreja carregada de história que se realizou o casamento da Tânia e do Ricardo.

O Templo é caracterizado pela sua fachada com elementos Barrocos, Rococós e Neoclássicos, apresentando uma única nave com cobertura em abóbada de berço, tendo no mármore o seu elemento primordial. Encontra-se ainda enriquecida com pinturas do conceituado Pedro Alexandrino, ricos azulejos do século XVIII e grades neo-medievais.

O actual templo foi edificado entre 1767 e 1787, após os grandes danos que o templo anterior sofreu com o grande terramoto de 1755, de acordo com o projecto do muito conceituado Arquitecto Mateus Vicente de Oliveira. Hoje em dia do templo original resta apenas a cripta, com entrada pela sacristia.

Diz-se que a reconstrução foi possível devido a um do peditório realizado pelas crianças em honra a Santo António, provindo desde aí a tradição popular da “esmolinha para o Santo António”. O chão da Igreja encontra-se coberto de moedas, em alusão às “esmolinhas de Santo António” e nas paredes estão expostas mensagens de fiéis.

A Igreja de Santo António está classificada como Monumento Nacional, e é popularmente famosa, também, pelos muitos arranjos de flores deixados pelos noivos no dia do casamento, de modo a abençoá-lo.

Tânia e Ricardo que sejam felizes por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!